sábado, 27 de junho de 2015

Fazendo História

As gravações do longa-metragem "Pra ficar na história", na cidade de Garibaldi-RS, foram retomadas pela equipe da Epifania Filmes. O documentário acompanha o projeto de Luiz Fitarelli de construir, com as próprias mãos, um museu etnográfico, onde ele tenta reproduzir uma vila italiana do final do século XIX.

Veterinário, Fitarelli, largou a profissão para trabalhar com restauro de móveis antigos enquanto coleciona objetos que fazem parte do acervo desse museu à céu aberto, ainda inacabado. Mesmo assim, já serviu de locação para várias produções da Rede Globo como séries e novelas, além de cenário para ensaios fotográficos da Playboy e outras revistas.

"Pra ficar na história" teve início com a gravação de um curta-metragem para o projeto Histórias Curtas, da RBSTV, e levou os prêmios de melhor diretor, para Boca Migotto e melhor montagem, para Alfredo Barros. Agora o projeto deve virar um longa e discutir a preservação da memória e da história no Brasil através de um sonho pessoal. Ironicamente, o homem que está construindo esse espaço para a memória, pensando no legado que deixará para as futuras gerações, não tem, dentro da própria família, um sucessor para seguir com o seu sonho. 

O trabalho do diretor Boca Migotto foi destaque no jornal O Pioneiro, de Caxias do Sul. Enquanto Luiz Fitarelli restaura móveis e constrói cidades pensando em preservar a memória do imigrante italiano para as próximas gerações, o diretor, professor de cinema e sócio da Epifania Filmes, já há muitos anos, utiliza o cinema como ferramenta de preservação da memória local. "Pra ficar na história" tem o intuito de aprofundar a discussão e, de certa forma, fechar o tema que já é trabalhado por Boca Migotto desde 2008 quando realizou "Rio da Antas, Vale da Fé", também para a RBSTV.

Matéria de Siliane Vieira, para o jornal Pioneiro.



Nenhum comentário:

Postar um comentário