quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

GRAVAÇÕES DO CURTA-METRAGEM EXILADOS



Ontem a equipe de gravação do curta-metragem Exilados, projeto selecionado para o Histórias Curtas 2013, da RBS, voltou ao Brasil depois de uma semana na capital chilena.

Em Santiago, foram gravadas a maior parte das cenas do documentário, que conta a história de Carlos Beust, exilado brasileiro no Chile no final dos anos 60 e início dos anos 70. Carlos foi integrante de uma importante força chilena na época, e participou de diversos acontecimentos que antecederam o Golpe de Estado de 1973.

CARLOS E PEDRO

VISTA DE SANTIAGO

Desta vez, Carlos voltou ao país com o filho Pedro, a quem mostrou um pouco da sua história até então desconhecida, já que os dois estabeleceram contato fazem apenas dois anos, depois de Carlos sair do Chile e ser mais uma vez exilado na Suécia, e do filho viver na França e em Portugal com a mãe.

Dentre os locais onde foram gravadas cenas, estão os importantes pontos históricos Estádio Nacional e Londres 38, que serviram de centros de repressão e extermínio para a ditadura chilena de Pinochet e onde morreram amigos e companheiros de Carlos em sua luta. Em uma das diárias também tivemos o prazer de visitar o Museu de Memórias e Direitos Humanos, que abriga um acervo imenso de imagens, vídeos e outros materiais sobre o assunto.

PAREDE DO ESTÁDIO NACIONAL

Outra busca da equipe dizia respeito à história de Nilton da Silva, poeta brasileiro amigo de Carlos, integrante do MIR (Movimento de Izquierda Revolucionária) e que acabou sendo assassinado por forças da Ultra Direita em junho de 73, pouco antes do bombardeiro ao palácio La Moneda que causou o suicídio de Salvador Allende.

Por isso, a equipe esteve na universidade, no antigo pavilhão J, onde hoje se encontra um Jacarandá que foi plantado em homenagem ao poeta brasileiro, e também no Cementerio General, onde está sepultado seu corpo.

CARTEIRA DE ESTUDANTE DE CARLOS COM O ANO DO GOLPE

ÁRVORE EM HOMAGEM A NILTON DA SILVA
Os bairros Concha y Toro, Brasil, Paris Londres, Bella Vista, Cerro San Cristobal e a famosa Confiteria Torres, fundada em 1879, foram outros pontos da capital chilena que foram escolhidas como locações para gravação do curta.

BOCA MIGOTTO NO CERRO SAN CRISTOBAL

Como não poderia deixar de ser, os Andes também estão na lista dos belos lugares onde estivemos. No caminho para Farellones e Vale Nevado foram gravadas as últimas cenas do documentário, antes da partida para o Brasil.


EQUIPE PREPARA PARA A FOTO OFICIAL

A fotografia do curta é de Bruno Polidoro, a direção de Boca Migotto, som direto de Fernando Basso e produção de Mariana Müller. O chileno Rodrigo Moreno, da Patagonia Filmes, assina a produção local.

O documentário vai ao ar em junho, na série Curtas Gaúchos, da RBSTV.