sexta-feira, 13 de abril de 2012

Novos Projetos da Epifania Filmes saem do papel - Histórias Curtas, da RBSTV e os projetos "Tcheco" e "Memórias em Sal de Prata" em produção


Tcheco - Memórias de um ex-pracinha
Um documentário curta-metragem da produtora conta a história de Francisco Pértile, o Tcheco, um descendente de italianos que foi enviado para o país de origem dos seus avós a fim de lutar na Segunda Guerra Mundial ao lado de americanos e ingleses.  Tcheco saiu de casa, em Bento Gonçalves, no ano de 1941, para servir o Exército em Quarai de onde foi enviado para o Rio de Janeiro e, da então capital federal, para a Europa. Sem poder ao menos voltar para casa para se despedir dos pais e da família. Voltou a ver a mãe somente quatro anos depois, com o fim da guerra. Ao contrário do que muitos podem pensar, Tcheco não se desesperou e conseguiu perceber o lado bom de ser enviado para o front de batalha. Ele conta suas lembranças nesse documentário que foi gravado em Bento Gonçalves no inverno do ano passado e agora está fase de finalização.

Equipe: Boca Migotto (direção), Bruno Polidoro (fotografia), Fernando Basso (som), Giana Milani (produção), Mariana Müller (produção executiva).

O Admirável Lançador de Dardos 
Um dos documentários selecionados pelo concurso Histórias Curtas da RBSTV, dentre 48 projetos, foi captado em 4 diárias no final do mês de março. As gravações do documentário, que aposta num tratamento ficcional para contar a história de Willy Seewald, foram realizadas em Porto Alegre, São Leopoldo e Ivoti. A produção pretende resgatar o nome de Willy Seewald, ex-atleta, descendente de alemães, foi o único representante do Rio Grande do Sul nas Olimpíadas de Paris em 1924. Willy saiu de uma São Leopoldo provincial, que no mesmo ano de 1924 completava um século da imigração alemã no Estado, para uma Paris cosmopolita e cultural. Como não poderia deixar de ser uma vez que vivemos no Brasil, um país sem memória, hoje praticamente ninguém sabe quem foi o então herói gaúcho Willy Seewald. O documentário está entrando em fase de montagem.
 

A produção contou com o apoio da Secretaria de Turismo de Ivoti, da Apema Locações, da Unisinos, do Museu Visconde de São Leopoldo, da Sociedade Ginástica de São Leopoldo, da Trensurb e das locações em Porto Alegre: Hotel Soler e Floricultura Boa Vista. Além, é claro, de todos os moradores de São Leopoldo e Ivoti, e dos familiares do Willy que se envolveram na produção.
Assista aqui ao teaser do documentário.

Memórias em Sal de Prata 
Esse projeto foi um dos documentários finalistas do concurso Histórias que Ficam, da Companhia Siderúgica Nacional. O projeto de um longa-metragem contava a história do fotógrafo aposentado Eligeu Parisi e de José Carvino Camillo, técnico cinematográfico aposentado. Ambos se conheceriam e decidiriam realizar uma viagem pela Estrada Geral, que liga Montenegro a Lagoa Vermelha e corta diversas cidades da Serra Gaúcha, encontrando, conversando e registrando histórias de outros “velhos” assim como eles. A idéia era tratar a temática da terceira idade, do que significa ser velho em um país que a velhice significa exclusão. Através dessa viagem, esses dois homens, em seus mais de 70 anos, dariam uma lição ao se preocuparem em utilizar suas formações em fotografia e cinema para documentarem as histórias das pessoas que encontrariam ao longo dessa viagem. Vale lembrar que a Estrada Geral foi uma picada indígena que serviu de caminho natural para a imigração na região. Desde Montenegro, subindo a Serra, alemães, poloneses, suíços, italianos e suecos deixam suas marcas na cultura, na fisionomia e nos sotaques praticados ao longo dessa estrada, reproduzindo aqui, nos confins da América do Sul, ao longo de uma única estrada, a Europa do século XVIII que seus antepassados deixaram para trás.
Infelizmente o projeto ficou em segundo lugar entre os três projetos do sul e não foi contemplado com os recursos para a captação do mesmo. Por isso, a Epifania Filmes decidiu desmembrar o projeto em dois, separar as histórias pessoais de Parisi e Camillo do documentário sobre a Estrada Geral e realizar o primeiro com recursos próprios. E isso só é possível graças ao apoio de profissionais como Bruno Polidoro, Fernando Basso João de Queiroz, que junto com a Epifania, estão abraçando esse projeto, assim como parceiros como  a Ray Produtora, de Porto Alegre e o Hotel Princesa dos Vales, de Veranópolis, que estão apoiando a produção. 
Assim, ao longo dessa segunda semana de abril, a equipe grava em Canoas e Veranópolis as entrevistas dos dois personagens que dedicaram suas vidas ao registro da memória através da película de foto ou cinema. Sal de Prata é o nome do reagente químico que permite a impressão da imagem no filme utilizado tanto para a fotografia quanto para o cinema.
Assista aqui ao teaser do projeto. Em breve postaremos fotos dos bastidores!

Nenhum comentário:

Postar um comentário