segunda-feira, 27 de junho de 2011

TCHESCO

Francisco Pértille tem 91 anos de idade. Em 1942 ele deixou de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, para servir em Quaraí, na fronteira do Brasil com o Uruguai. De lá, ele e seus companheiros foram colocados num trem e levados para o Rio de Janeiro. Sete dias de viagem para descobrirem, somente na então Capital Federal, que estavam lá para realizarem um treinamento militar para embarcarem para a Europa, onde participariam da Segunda Guerra Mundial. Pértille deixou família e namorada em Bento Gonçalves para prestar o serviço militar, em Quaraí mas agora estava prestes a atravessar o oceano em direção à Itália.

Tchesco, como é conhecido, fez parte do segundo regimento brasileiro que chegou à Europa. E de fato lutou nas batalhas em território italiano onde os brasileiros ajudaram os exércitos americano e britânico na conquista de Monte Castello. Frio, neve, bombardeios, patrulhas, Pértille passou por tudo isso. Conversou com sobreviventes dos campos de concentração alemãos, deixou uma namorada na Itália e voltou de lá condecorado com a Cruz de Malta, honraria dada a heróis de guerra.

Hoje Pértille vive na sua casa, em São Valentin, no interior de Bento e nós fomos lá para que ele nos contasse um pouco de sua história. O documentário, realizado com recursos próprios da Epifania Filmes, foi todo ele fotografado em preto e branco, apenas com depoimentos do próprio Tchesco e será transformado num curta-metragem.

Gostariamos de agradecer os apoiadores do projeto em Bento Gonçalves: Hotel Dallonder, Tarcisio Michelon, Pizzaria Bom Gusto e a família de Francisco Pértille.

Também agradecemos a equipe que participou do projeto sem remuneração:

Giana Milani: Diretora de Produção
Bruno Polidoro: Diretor de Fotografia
Fernando Basso: Som

Francisco Pértille é um dos últimos "pracinhas" ainda vivo no Rio Grande do Sul.


Foto: Bruno Polidoro

Foto: Bruno Polidoro

Foto: Bruno Polidoro

Nenhum comentário:

Postar um comentário