sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Andiamo, Epifania!


Na próxima segunda-feira a equipe da Epifania Filmes viaja à Itália.
O curta-metragem realizado para a última edição do Histórias Curtas, da RBS TV, em 2015, Pra Ficar na História - Villa Fitarelli, que ganhou os prêmios de Melhor Montagem, para Alfredo Barros, e Melhor Direção, para Boca Migotto, agora, vai longa para a Globo News.
O projeto conta a história de Henrique Fitarelli, um ex-veterinário de Garibaldi que, hoje, trabalha com restauro de móveis antigos e constrói, no interior da cidade, um parque temático para resgatar e preservar a memória da imigração italiana na região no final do século XIX.



A Villa Fitarelli, como já é conhecida em todo o Brasil, será um museu etnográfico que servirá para levar o visitante de volta ao passado, a fim de conhecer ambientes como um antigo armazém, uma ferraria, uma vinícola, uma igreja, um moinho e outras estruturas, exatamente com as mesmas funcionavam no período da colonização.
A Epifania Filmes apresentou o projeto para a Globo News que, em parceria com a Globo Filmes, aceitou co-produzir a versão longa-metragem dessa história a qual, a partir da semana que vem, iniciará a segunda fase de gravações na região do Vêneto, na Itália. Após o retorno da terra de onde vieram a maioria dos imigrantes da Serra Gaúcha, o projeto terá, ainda, mais uma fase de gravações em Garibaldi.
 
Na Itália, Fitarelli visitará museus, famílias, cidades e paisagens que o ajudarão a resgatar a história dos seus antepassados, realizando, a partir disso, uma reflexão crítica sobre a imigração, a preservação da memória e da cultura, tanto aqui no Brasil como na Itália.
O documentário versão longa-metragem ainda não tem título definido, mas será a segunda produção que aproximará a Epifania Filmes da produtora italiana Jenga Films, de Pádova. Em 2011 as produtoras se uniram na produção da primeira série de ficção da RBS TV gravada no exterior, Sapore d'Italia. O diretor Boca Migotto e a produtora Mariana Mêmis Muller, assim como o Diretor de Fotografia Bruno Polidoro, reencontrarão Christian Cinetto e Marta Ridolfi em mais esse projeto que terá o Vêneto como cenário. A produção executiva ainda conta com Fabiano Flores, que junto com Mariana, assina a produção geral no longa.

O montador premiado pelo curta-metragem que deu origem ao projeto, Alfredo Barros, segue no projeto, montando a versão longa-metragem, agora com a parceria do montador Alberto Feoli. Essa será a primeira aproximação da Epifania Filmes com a Talho, produtora que tem, ainda, Silvia Baptista como sócia e coordenadora geral.
A previsão de lançamento é para o início de 2017, pela Globo Filmes, e o documentário será exibido nos cinemas para, depois, ganhar espaço na grade da Globo News e Canal Brasil. Acompanhe as notícias sobre as gravações na Itália e na Serra Gaúcha através do nosso blog e nossa página no Facebook.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

"Às Margens" e "Horas"

Nesse mês de maio de 2016 a Epifania Filmes está finalizando dois novos curtas-metragens. Ambos devem entrar no Circuito de Festivais no segundo semestre de 2016. A curiosidade, porém, é que ambos os filmes foram gravados em 2015, cada um na cidade natal de um dos sócios da produtora.

Às Margens foi gravado entre agosto e setembro em Carlos Barbosa, cidade natal de Boca Migotto. O documentário conta a história de Tieppo, um artista que, isolado, vive às margens de uma sociedade que não reconhece sua arte. O documentário foi dirigido pelo próprio Boca Migotto, produzido por Mariana Mêmis Müller, com som direto de Juan Quintáns, montado por Alfredo Barros e Bruna Skrzypek Badalotti e finalizado por Roberto Valduga.

Já em "Horas", a produtora discute questões como isolamento, aprendizado, mídia e a passagem do tempo. A ficção foi gravada em uma borracharia de beira de estrada em Soledade, cidade natal da produtora Mariana Mêmis Müller. O curta-metragem conta com a atuação impecável de Nelson Diniz, arte de Ana Musa, fotografia de Bruno Polidoro, som de Gabriela Bervian, montagem de Denise Marchi e finalização mais uma vez de Roberto Valduga. 

Conheça a identidade visual dos curtas, criadas por Leo Lage.




segunda-feira, 16 de maio de 2016

Contrastes do Brasil

Contrastes é o mais novo documentário longa-metragem que a Epifania Filmes está rodando nesse ano, em co-produção com Preto Filmes, Ricardo Só de Castro e Christina Dias.

17 de abril de 2016. O amanhecer de um típico domingo em Porto Alegre dá lugar a um entardecer histórico, quando os deputados brasileiros mostraram sua cara ao povo brasileiro e, em nome de Deus, da família e contra uma pretensa corrupção, deram inicio ao golpe que anulou 54 milhões de votos diretos à presidenta Dilma Rousseff.


    

O documentário acompanha a votação dos deputados pelo processo de impeachment a partir do Parcão e da Praça da Matriz, criando relações entre Porto Alegre e Brasília. Ao longo do dia que dividiu o Brasil entre "Petralhas e Coxinhas", realizamos um retorno pela história do Brasil, o que nos ajuda a compreender melhor o momento vivido em 17 de abril de 2016.

 O que veio depois, não importa. O fato é este domingo que se tornou o ponto de virada história da democracia brasileira. 



"Contrastes do Brasil" tem produção executiva de Glauco Urbim e Mariana Mêmis Müller, é roteirizado por Pedro Guindani, dirigido por Boca Migotto e fotografado pelo estreante Joba Miglorin. Tomáz Borges assina o Som Direto. Nas equipes adicionais, Pedro Gusmão e Bolívar Lauda (fotografia), Juan Quintáns e Tiago Mayer (som direto), Marcelo "Tchaca" Baieski e Rodrigo Schuster (produção) e Paulinho Calzia como motorista, além da equipe de captação em Brasília, que contou com Alisson Lopes Machado (produtor e som direto), Petronio Neto (diretor de fotografia), Lucas Gesser (assistente de câmera), sob a coordenação geral de David Alves. Na pesquisa, Mariana Mêmis Müller coordena a equipe formada por Laura Kleinpaul, Giulia Góes, Maria Galant Melgarejo e Marcello Campos.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Proposta de pauta vencedora do Prêmio Jovem Jornalista começa a sair do papel


Luiz Claúdio Cunha é o primeiro a falar para o documentário que contará o caso de censura judicial sofrido pelo Jornal Já

As gravações do documentário “O caso do Jornal Já”, proposta selecionada na edição 2015 do Prêmio Jovem Jornalista, promovido pelo Instituto Vladimir Herzog, começaram na manhã da última segunda-feira, 29, na cidade de Caxias do Sul. Em sua terra natal, Luiz Claúdio Cunha, jornalista premiado que divulgou o caso do Já em âmbito nacional, faz uma crítica à imprensa gaúcha e às instituições ligadas à defesa dos direitos desses profissionais, que teriam ficado omissas, sem tomar qualquer posicionamento diante de uma injustiça. Ele refere-se à condenação do Jornal Já por dano moral, a partir de uma reportagem escrita e publicada, em 2001, pelo editor e jornalista Elmar Bones sobre a morte de Lindomar Rigotto e outros dois fatos que o envolviam – a morte de uma garota de programa que estava em seu apartamento e a fraude da CEEE, maior já cometida contra o patrimônio público do estado, que, até hoje, corre em segredo de justiça. Luiz Cláudio falou ainda sobre sua relação com Elmar e com o ex-governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, irmão de Lindomar.





Sobre o documentário

A produção propõe-se a resgatar a história do jornalista Elmar Bones e sua saga à frente da publicação gaúcha condenada a pagar um valor inicial de 17 mil reais à família Rigotto, por dano moral, em 2003. Organizações ligadas à defesa do direito à liberdade de expressão apontam o caso do Jornal Já como um exemplo emblemático de judicialização da censura no país, que tem se repetido com frequência. A equipe ainda vai ouvir nomes vinculados ao Direito e ao Jornalismo, além do próprio Elmar Bones, pessoas próximas a ele e família Rigotto.

A realização do documentário conta com a participação da estudante de Jornalismo da Unisinos, Joyce Heurich, da professora orientadora, Luciana Kraemer, da mentora indicada pelo Instituto Vladimir Herzog, Bianca Vasconcellos, jornalista da EBC, e apoio da produtora Epifania Filmes. O documentário finalizado deve ser entregue à comissão do Prêmio até o dia 20 de setembro de 2015.




sábado, 27 de junho de 2015

Fazendo História

As gravações do longa-metragem "Pra ficar na história", na cidade de Garibaldi-RS, foram retomadas pela equipe da Epifania Filmes. O documentário acompanha o projeto de Luiz Fitarelli de construir, com as próprias mãos, um museu etnográfico, onde ele tenta reproduzir uma vila italiana do final do século XIX.

Veterinário, Fitarelli, largou a profissão para trabalhar com restauro de móveis antigos enquanto coleciona objetos que fazem parte do acervo desse museu à céu aberto, ainda inacabado. Mesmo assim, já serviu de locação para várias produções da Rede Globo como séries e novelas, além de cenário para ensaios fotográficos da Playboy e outras revistas.

"Pra ficar na história" teve início com a gravação de um curta-metragem para o projeto Histórias Curtas, da RBSTV, e levou os prêmios de melhor diretor, para Boca Migotto e melhor montagem, para Alfredo Barros. Agora o projeto deve virar um longa e discutir a preservação da memória e da história no Brasil através de um sonho pessoal. Ironicamente, o homem que está construindo esse espaço para a memória, pensando no legado que deixará para as futuras gerações, não tem, dentro da própria família, um sucessor para seguir com o seu sonho. 

O trabalho do diretor Boca Migotto foi destaque no jornal O Pioneiro, de Caxias do Sul. Enquanto Luiz Fitarelli restaura móveis e constrói cidades pensando em preservar a memória do imigrante italiano para as próximas gerações, o diretor, professor de cinema e sócio da Epifania Filmes, já há muitos anos, utiliza o cinema como ferramenta de preservação da memória local. "Pra ficar na história" tem o intuito de aprofundar a discussão e, de certa forma, fechar o tema que já é trabalhado por Boca Migotto desde 2008 quando realizou "Rio da Antas, Vale da Fé", também para a RBSTV.

Matéria de Siliane Vieira, para o jornal Pioneiro.



quarta-feira, 24 de junho de 2015

FRAPA - terceira edição

Acontece de 4 a 6 de agosto, em Porto Alegre, a terceira edição do FRAPA – Festival do Roteiro Audiovisual de Porto Alegre.

Realizado pela Epifania Filmes, Coelho Voador e Ausgang, o Festival concentra as discussões acerca da produção de roteiros para filmes, séries, documentários e outros gêneros audiovisuais. O FRAPA também conta com Mostra Competitiva Internacional de Curtas, Concurso de Roteiros e Rodada de Negócios.

O objetivo do FRAPA é aproximar o mercado audiovisual brasileiro e sul-americano a partir de Porto Alegre, por isso, vários roteiristas do Brasil, Uruguai, Argentina e outros países da América Latina, estarão discutindo a produção audiovisual a partir do viés do roteiro.

O FRAPA acontece três dias antes do Festival de Cinema de Gramado, o que permite aos interessados, também, conciliarem os dois eventos em uma mesma viagem e, de quebra, aproveitar um chocolate quente na Serra Gaúcha.

Entre no site e saiba mais sobre o primeiro festival de roteiros da América Latina.

 


quarta-feira, 25 de março de 2015

É Tudo Verdade no Bom Fim!

Produzido pela Epifania Filmes e dirigido por Boca MigottoFilme Sobre um Bom Fim  foi selecionado para a mostra competitiva nacional de longas e médias metragens da 20ª edição do É Tudo Verdade, o mais importante evento da América Latina dedicado ao documentário, que este ano ocorrerá entre os dias 09 e 19 de abril.




O filme aborda a importância político-cultural do Bom Fim, famoso bairro de Porto Alegre, no fim dos anos 1970 e início dos anos 1980, sobretudo no que diz respeito à arte e à política, motores de uma verdadeira transformação. Em meio a uma cena efervescente, circulavam artistas, lideranças estudantis, entre outros frequentadores que acabaram protagonizando ou mesmo apenas testemunhando a transformação sociocultural que de fato ganhou as ruas. 

Filme Sobre um Bom Fim é estruturado com base em entrevistas a pessoas que viveram os anos dourados do Bom Fim, entre eles algumas figuras célebres nacionalmente, como os cineastas Jorge Furtado e Otto Guerra, os músicos Nei Lisboa e Wander Wildner, os atores Marcos Breda e Werner Schünemann, ou muito conhecidas regionalmente, como Antônio Calheiros, o Toninho do Escaler – dono de um dos bares mais famosos da época, e Eduardo Bueno, o Peninha, jornalista e escritor.



Assista o trailer aqui!